Nascida em Barcelona, a poetisa Gemma Gorga é uma das mais importantes poetas de língua catalã deste novo século. Artista de múltiplas faces, publicou cinco grandes obras poéticas e por elas recebeu prestígio e reconhecimento internacional: o Livro dos minutos [2006] é de longe uma das criações mais entusiasmadas da escritora; que incluem ainda A desordem das mãos [2003] e Instrumentos ópticos [2005]. A poesia de Gemma nos abre espaço para uma câmara, onde a quietude como categoria mostra-se num âmbito diferente. Sem mais delongas, leia Baptisme, publicado em A desordem das mãos, traduzido pela primeira vez ao português:

Baptisme

Poema original em catalão de Gemma Gorga

Cada vespre torno a llegir totes les cartes
que mai no m’has escrit i que guardo en calaixos
transparents perquè els lladres no puguin trobar-les
–¿com veure l’aire en l’aire, la llum en la llum?–.
Existeixen molts passats dins el passat, moltes
memòries que es ramifiquen com petits
capil·lars del temps. També és record tot allò
que no vam arribar a viure, a veure, a dir-nos,
tot allò que se’ns va quedar adherit lleument
al cor, com una pestanya a punt de volar.
Mortes abans de néixer, no per això deixen
de ser ànimes les ànimes. Ni les paraules,
paraules. Només els va faltar l’aigua freda
del baptisme i algú que sabés creure en elles.

Batismo

Tradução ao português por Souza Pereira

A cada noite releio todas as cartas
que não mais tenho escrito e que guardo nas gavetas
transparentes para que os ladrões não possam encontrá-las
–Como você vê o ar no ar, e a luz na luz?–.
Existem muitos passados nos passados
memórias que se ramificam como pequenos
capilares do tempo. Que também lembram-se de tudo
do que não conseguimos viver, para ver, a dizer-nos,
tudo o que permaneceu ligeiramente preso
ao coração, como pestanas a ponto de voar.
Morrem antes de nascer, porque não deixam
de ser almas as almas. Nem as palavras,
palavras. Faltava-me a água fria
do batismo e alguém que pudesse acreditar nele.

Ouça a leitura de Batismo e outros poemas pela autora:

Posted by:Souza Pereira

Souza Pereira (Recife, 1994). Escritor e Editor chefe da Revista Philos. Biomédico e Mestre em Genética pela Universidade Federal de Pernambuco. Cursou História crítica e social do pensamento, da literatura e das Artes (Portugal). É co-fundador da casa editorial Camará Cartonera e do Espaço Cultural Maus Hábitos (Brasil). Autor dos livros A tarde dos elefantes e outros contos (2014), Polissemia (2015) e Olhos de Onda (2016). Artista visual e colaborador do Espacio Cultural Violeta (Chile) e do Colóquio Escrever nas Margens (Portugal). Colabora com diversas revistas de literatura latina na Europa e América Latina.

One thought on “Dossiê de Literatura Neolatina: Mostra de poesia catalã, por Gemma Gorga

Comentários

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s