Rosa de Janeiro

Nasce linda a rosa de janeiro,
com pólen de dois amores
entre mil pétalas de cheiro,
numa relva rebuçada de flores.

Desponta sobre todas as cores
do maravilhoso cultivo inteiro,
pelos seus mais ricos odores
que as abelhas sentem primeiro.

Mas esse perfume do campo soprado,
também semeia o aroma da cidade,
com que vai um coração apaixonado

arrancá-la da verde liberdade,
onde viceja o caule enterrado,
para enfeitar um vaso de saudade.


Diógenes Carvalho Veras (Natal, 1963). Crônicas publicadas em jornais do RN entre 2004-06. Professor de História rede estadual de ensino do RN desde 2006. Publicou em 2009 ¨Contos da cidade do Natal¨, 62 p. Servgráfica Editora, Natal-RN. Doutor História Antiga Universidad Complutense de Madrid, 2016.

Posted by:Jorge Pereira

Produtor cultural pernambucano baseado no Rio de Janeiro. Fundador da Casa Philos e editor-chefe da Revista Philos. Curador de festivais literários e de arte contemporânea.

One thought on “Dossiê de Literatura Neolatina: Mostra de poesia lusófona, por Diógenes Carvalho Veras

Comentários

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s