Met<amor>fose

acordei peixe
era plasma
dormi concha
era espera
café na praia
sexo no balcão
da confeitaria
salivei bicho-de-

mãos e
pés
avelãs e
menta
amanheci
sonho de padaria
anoiteci
coto-via
via não se via
só meu voo
vinha e
ia


André Kaires (Tatuí, 1985). Ator, bailarino e aprendiz de poeta. Um apanhador de sonhos e loucas poesias.

Anúncios
Publicado por:Jorge Pereira

Recifense, produtor cultural, editor-chefe da Revista Philos e criador da Casa Philos.

2 comentários sobre “Dossiê de Literatura Neolatina: Mostra de poesia lusófona, por André Kaires

Deixe uma resposta