Soneto pueril

Busco construir um heroico verso,
Mas não sou poeta, e assim me perco;
Vêm as palavras e me fecham o certo
E permaneço distante e disperso.

Eu nem mesmo sei o esquema de rimas:
Tudo na mente passa e esvaece
– esta mente que não lembra, esquece! –
Forçando-me a rimar com minhas primas.

Mas sou ainda criança na praia:
Balde e areia – construção que nasce
No desejo de que tudo se abstraia;

Como se fizesse da areia neve,
Permitindo que a brisa por mim passe,
Que meus pensamentos a onda leve…


David Junior (Votorantim – SP, 1989). Professor e poeta publicado em diversas antologias e vencedor de prêmios literários da região de Sorocaba/SP.

2 thoughts on “ Dossiê de Literatura Neolatina: Mostra de poesia lusófona, por David Junior ”

Deixe uma resposta