Andante

vvá a quem sou
não à casca que reveste minha alma
nem à película que engana sentidos
vá ao sabor
à textura do coração
há  peitos
pulsando espíritos
há também olhos
brilhando janelas
há minha vida
à tua


Carmino da Silva (Pernambuco, 1983). Começou a escrever poesia aos 19 anos, tendo efetivamente participação em fanzines literários do Recife em meados da década de 2000.

Publicado por:Jorge Pereira

Recifense, produtor cultural, editor-chefe da Revista Philos e criador da Casa Philos.

Um comentário sobre ldquo;Neolatina: Mostra de poesia lusófona, por Carmino da Silva

Deixe uma resposta