Divinos amores

A serenidade é fina transparência,
Transbordando-se em gotas de orvalho
Por onde a suavidade doce do alento
Busca encontrar o profundo da calma
Das almas que estão,
Como transbordantes rios,
Trazendo as correntezas da vida,
Que vivem se expondo nas luzes
Serenadas dos luares replenos
De Divinos Amores…
Que fluem do Coração dos Anjos
Fluindo, evoluindo, infinitamente,
Intuindo as emotivas expansões
Do nosso universo interior.


Odenir Ferro (São Paulo, 1990). Escritor, poeta e Embaixador Universal da Paz.

Posted by:Souza Pereira

Souza Pereira (Recife, 1994). Editor chefe da Philos, escritor e curador de festas literárias.

Uma resposta para “Neolatina: Mostra de poesia lusófona, por Odenir Ferro

Comentários

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s