Carta a alguma pessoa

Vós sois como a
Correnteza,
Como o vento, livre,
Imparável.

Nossos dias em teares do tempo
Escorrem em fios entre os dedos
Do destino.

Nada além do céu, além do chão,
Encontra-se ao alcance de nossas
Mãos.

Repetimos os dias como o sol seu
Ciclo, do leste ao oeste, tudo cumpre
Seu fado.

Mas nada lhe alcança!

Vós que sois como a
Tempestade,
Como a água, pura,
Indomável.

Ensina me, também, a passar.


Jessyca Santiago (Recife, 1990). Graduada em Letras Inglês pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro, trabalha como professora.

Anúncios
Publicado por:Jorge Pereira

Recifense, produtor cultural, editor-chefe da Revista Philos e criador da Casa Philos.

Um comentário sobre ldquo;Neolatina: Mostra de poesia lusófona, por Jessyca Santiago

Deixe uma resposta