Poema sem título

Olhos pútridos e tochas acesas
Um grito do inferno agrava as cidades
O monstro saiu das sombras?
Uma e milhares, criaturas escusas
Cantando odes às atrocidades
Orgulhando-se de pérfidas obras!
Olhem:
O mais triste
Desesperador
Insano
O rosto do monstro
Foi sempre humano!


Larissa Reggiani Galbarddi (Cafeara, 1991). Estudante de Letras.

Posted by:Souza Pereira

Souza Pereira (Recife, 1994). Editor chefe da Philos.

One thought on “Neolatina: Mostra de poesia lusófona, por Larissa Reggiani Galbarddi

Comentários

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s