Caminho

Eu caminho para um lado,
o mundo venta pro outro.
Andando contra esse movimento,
acabo enxergando o passado.
Sem querer, faço o caminho
entre o passado e o passarinho
que o mundo já tinha riscado.
Resta saber se estamos
indo para o mesmo lado
eu e o mundo caminhando
para o paraíso perdido
ou para o caso sofrido
de desposar-me com o destino
e acabar matando Laio.


Pâmela Côrtes (São Paulo, 1989). Caiu na vida e não consegue mais levantar. Mestre em Direito, trabalhadora de muita coisa, e escritora de qualquer coisa em tempo integral. Já publicou aqui algumas vezes. Tem um blog, nem sempre atualizado: emrecortes.wordpress.com.

Publicado por:Jorge Pereira

Recifense, produtor cultural, editor-chefe da Revista Philos e criador da Casa Philos.

Um comentário sobre ldquo;Neolatina: Mostra de poesia lusófona, por Pâmela Côrtes

Comentários

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s