Sessão de terapia

Meus poemas resolvo EU!
Conserto minhas próprias líricas
Arrumo meus poemas complexos
Vivo em meus intensos versos
Louca em minhas estrofes

Cada um tem o poema que merece
Por isso, minhas desconcertadas rimas
Se confundem em minha métrica
E se misturam a meus cantos

Estou cheia de poemas
Que extrapolam minha essência
E me atolam na escuridão dos meus poemas
Socorro!
Não sei resolver poemas!
Doutor? Meus poemas têm solução?
Quero psicotrópicos para meus poemas
Não sou louca, SOU POESIA!


Aurilene Sampaio (Ceará, 1982) Professora da rede estadual de ensino, apaixonada por linguagens e artes, passeia por universos distintos na busca por completude.

Posted by:Souza Pereira

Souza Pereira (Recife, 1994). Escritor e Editor chefe da Revista Philos. Biomédico e Mestre em Genética pela Universidade Federal de Pernambuco. Cursou História crítica e social do pensamento, da literatura e das Artes (Portugal). É co-fundador da casa editorial Camará Cartonera e do Espaço Cultural Maus Hábitos (Brasil). Autor dos livros A tarde dos elefantes e outros contos (2014), Polissemia (2015) e Olhos de Onda (2016). Artista visual e colaborador do Espacio Cultural Violeta (Chile) e do Colóquio Escrever nas Margens (Portugal). Colabora com diversas revistas de literatura latina na Europa e América Latina.

One thought on “Neolatina: Mostra de poesia lusófona, por Aurilene Sampaio

Comentários

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s