Teus olhos na tua boca me fazem ouvir passos descalços que se distanciam do teu ouvido e batem no meu peito. Desfaço-me de desgosto; mesmo assim continua gostoso o gosto azedo do teu suor que me leva a uma atmosfera única do mundo astral dos sonhos encantados. Tuas costas cheias de cordões umbilicais que te conectam a esse sonho acordado que vivo a teu lado. E não me esqueço do momento que te conheci, mas não consigo lembrar-me de quando deixei de te conhecer. Droga! Essa nuvem negra, cada vez mais negra, me faz lembrar teu hálito que transpirava do teu corpo inteiro e me exalava de carinhos, ternura; quantas amarguras vividas ao teu lado. Mas que lado? Essa nuvem negra me fez esquecer como são lindos teus olhos na tua boca. Ah, que boca! Que olhos! Que corpo! E aqueles gozos gozosos que muitas vezes fui levado de mim para ti em movimentos cada vez mais únicos e gostosos. Tuas mãos eram meus pés e tua cabeça minha cabeça; na verdade, o que era meu era também teu, teus pés, teus joelhos, tua barriga, ah, que barriga!… Hoje, andando, vejo ruas escuras, noturnas, por onde passamos e flutuamos, nos afundamos num oceano cada vez mais raso nesse rastro de rato doentio que povoa esgotos de belos romances com nuances pútridas de ciúmes; que tua bela boca fala o que meus olhos não conseguem ouvir e meus ouvidos não conseguem ver, e continuas a falar… Eu grito. – Cale-se! Pelo amor da razão que perdeste muito tempo atrás!


Willames Frank (Alagoas, 1986). Graduado em Filosofia (UFAL), especialista em Filosofia da Educação (FACESTA), estudante de Letras na Universidade Federal de Alagoas. Pesquisa em Filosofia Latino americana e faz parte do Grupo de Pesquisa: Subjetividade e Crítica ao Sujeito Moderno (UFAL – CNPq).

Posted by:Souza Pereira

Souza Pereira (Recife, 1994). Escritor e Editor chefe da Revista Philos. Biomédico e Mestre em Genética pela Universidade Federal de Pernambuco. Cursou História crítica e social do pensamento, da literatura e das Artes (Portugal). É co-fundador da casa editorial Camará Cartonera e do Espaço Cultural Maus Hábitos (Brasil). Autor dos livros A tarde dos elefantes e outros contos (2014), Polissemia (2015) e Olhos de Onda (2016). Artista visual e colaborador do Espacio Cultural Violeta (Chile) e do Colóquio Escrever nas Margens (Portugal). Colabora com diversas revistas de literatura latina na Europa e América Latina.

One thought on “Razão perdida, por Willames Frank

Comentários

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s