Página cinematográficas

Exercendo o sacerdócio por convicção
Nesta fé pragmática, vivendo o passional
Amor, sem ausentar-se da expressão
Viva da Arte, explodindo em Cadeia Nacional!
Como se fosse fogos de artifícios num papel
Desempenhando a atuação de um livro inédito.
Abrindo-se em páginas cinematográficas, e, um pincel
Mágico, vai reproduzindo o texto épico,
Numa tela iluminada. Fazendo aparecer
Todos os cenários da trama em explicações
Corporais em jogos de cenas, onde o entardecer,
Com o pôr do sol, reza a reza das compaixões
Arrebatadoras das paixões, no arrefecer
Da maré alta, exibindo um mar de indagações.


Odenir Ferro (São Paulo, 1990). Escritor, poeta e Embaixador Universal da Paz.

Publicado por:Jorge Pereira

Recifense, produtor cultural, editor-chefe da Revista Philos e criador da Casa Philos.

Um comentário sobre ldquo;Neolatina: Mostra de poesia lusófona, por Odenir Ferro

Deixe uma resposta