que caia o amanhecer

Que caia o amanhecer,
o raiar do entardecer,

que os dias acumulem-se,

não na incerteza,
mas na pureza do sacrilégio.

lascia cadere l’alba

Lascia cadere l’alba
il crepuscolo del crepuscolo

che i giorni si accumulino

non nell’incertezza,
ma nella purezza del sacrilegio.


Carlos Cardoso (Rio de Janeiro, 1973). Poeta, possui formação em engenharia. Sua estreia na literatura ocorreu em 2004, com o livro de poemas Sol Descalço (Editora 7Letras). Em 2005, publicou Dedos Finos e Mãos Transparentes (Editora 7Letras), recebendo várias críticas elogiosas. No seu mais recente livro de poemas, Na Pureza do Sacrilégio (Ateliê Editorial, 2017), em sua apresentação, o crítico Silviano Santiago, o aproxima de grandes nomes da literatura, como Octavio Paz e Fernando Pessoa.

Posted by:Souza Pereira

Souza Pereira (Recife, 1994). Editor chefe da Philos, escritor e curador de festas literárias.