Gosto do pecado

Rejeita-me e eu ainda estarei perdido entre o meu silêncio
Com o coração entre os dedos, com a coragem entre os dentes
Rejeita-me e eu permanecerei só.
Afundo-me, absorto entre a dúvida que me castiga
E enquanto pra você tanto faz,
pra mim faz mal.

Eu ainda prefiro me matar aos poucos
Como o covarde que jamais mordeu a maçã
Talvez por medo de morrer envenenado,
talvez por não querer perder o paraíso,
E se for bom o gosto do pecado?
Eu espero não estar vivo amanhã.


Davyd Vinicius (Curitiba, 1995), escritor/poeta e blogueiro. É acadêmico da Academia Virtual de Letras, autor do livro “Sobre Fragmentos” e participante das antologias “Mãos aos Versos”, “Poetas no Dia”.

Posted by:Jorge Pereira

Jorge Pereira (Recife, 1994). Produtor cultural e agente literário baseado no Rio de Janeiro. Fundador da Casa Philos e editor-chefe da Revista Philos. Curador de festivais literários e membro do Oi Kabum! LAB do Oi Futuro.