carta aberta

Foi te vendo embriagado
que eu percebi
como todos os meus versos
seriam sobre ti
por um tempo
pelos menos
até você não querer mais
beber de mim


Giulia Ramos (Rio de Janeiro, Brasil, 2001). Vive em suas próprias contradições. Teve seu primeiro poema, “Sarcasmo”, uma paródia de “Não há Vagas” de Ferreira Gullar, publicado no livro “Poetguese” em 2014. Em 2016, publicou seu primeiro livro, “2302”, com o objetivo de mostrar sua maneira de ir além das correntes que nos aprisionam. Em 2018 lançou o seu segundo livro, Miolo, pela Editora Kazuá.

Posted by:Jorge Pereira

Produtor cultural e agente literário pernambucano baseado no Rio de Janeiro e São Paulo. Fundador da Casa Philos e editor-chefe da Revista Philos. Curador de festivais literários e de arte contemporânea.