POEMA 1

se nos encontrarmos – cheios de cicatrizes – nus de tudo nossos corpos travarão uma luta eu sei

se nos perdermos – nessa que dura intermináveis rounds – em fendas de pele, músculos retráteis e luvas de látex, de onde avançamos e quedamos

lona espuma mola céu cimento

os cortes – uma vez superficiais uma vez nada superficiais uma vez uma vez que não se sabe – serão inevitáveis

POEMA 2

Hoje.
Dia de medir palavras, entre pronúncias.
Temperaturas, de corpos já mortos.
Distâncias, entre polos que se traem.
Formas químicas, de inaceitáveis explosões.
Criações de coisas, sem edital.
Ressacas, de ontem, de tanto ontem.


Yassu Noguchi (Rio de Janeiro, Brasil). Poeta, contista e artista visual. Produz o Haicai Combat e integrou a curadoria da exposição Poesia Agora. Participou da Casa Philos na Flip 2018 como integrante da mesa sobre revistas literárias, representando o Jornal Plástico Bolha, no qual colabora; e como mediadora da mesa Poesia Política.

Posted by:Jorge Pereira

Produtor cultural e agente literário pernambucano baseado no Rio de Janeiro e São Paulo. Fundador da Casa Philos e editor-chefe da Revista Philos. Curador de festivais literários e de arte contemporânea.