MEU MUNDO, MINHA MOEDA

meu corpo, minha regra:
porque a vida só vale se agrega
o valor e a condição que me cabem:
ser quem decide molde e cor da roupagem

meu corpo, minha regra:
porque a vida só vale a entrega
quando vestido o que trago na bagagem:
nada às escondidas na hora da triagem

meu corpo, minha regra:
porque a vida só vale a quimera
daquilo que me alimenta de coragem:
seja eu o espelho da minha imagem


Paulo Sabino (Rio de Janeiro, Brasil). Poeta, autor do livro Um Para Dentro Todo Exterior (Bem-te-li, 2018). Edita o site literário Prosa Em Poema e coordena o projeto Ocupação Poética e o Sarau do Largo das Neves, ambos no Rio de Janeiro.

Posted by:Jorge Pereira

Produtor cultural e agente literário pernambucano baseado no Rio de Janeiro e São Paulo. Fundador da Casa Philos e editor-chefe da Revista Philos. Curador de festivais literários e de arte contemporânea.