molhados os sonhos no asfalto
Recife nunca chove no verão
mas hoje vi gotas arrancarem
cada
pedaço
do
meu
chão

espalharem os poemas de amor
que nunca soube escrever
fingia que os achava estúpidos
sem querer assumir
minha incompetência
pensava em desistir
pedi clemência
às paixões sobreviventes

virava ao avesso
tirava do eixo
versos salgados
os sonhos no asfalto
molhados
meus poemas de amor
engasgados


Bell Puã (Recife, 1993) é poeta slammer, bacharel em História e faz mestrado na mesma área, na UFPE. Foi vencedora do Slam BR 2017, que a levou a representar o Brasil no Grand PoetrySlam, em Paris, no último mês de maio. É parte do Slam das Minas de Recife e do UM Coletivo. Compõe ainda o coletivo negro Afronte, desenvolvendo atividades de consciência racial em seu estado.

Posted by:Jorge Pereira

Produtor cultural pernambucano baseado no Rio de Janeiro. Fundador da Casa Philos e editor-chefe da Revista Philos. Curador de festivais literários e de arte contemporânea.