O meu corpo inteiro sente saudade.
Minha pele – que é o meu maior órgão – sente falta de você:
do seu toque,
do seu cheiro,
do seu nariz que percorria todo o meu corpo para descobrir todos os meus cheiros.

O meu rosto sente falta de acordar dentro do seu peito-abrigo, minhas pernas sentem-se sozinhas demais sem as suas para fazer nó.

Tenho acordado todas as manhãs procurando seu corpo quente por perto. Sinto falta de te dar bom dia pela pele.


Marcella Klimuk (São Paulo, 1990) É bacharel em Artes Visuais pelo Centro Universitário Belas Artes de São Paulo, tem uma pesquisa com autorretrato e performance. O texto acaba fazendo parte como registro de devaneios e sensações do seu universo. Vive e trabalha no Rio de Janeiro.

Posted by:Jorge Pereira

Produtor cultural pernambucano baseado no Rio de Janeiro. Fundador da Casa Philos e editor-chefe da Revista Philos. Curador de festivais literários e de arte contemporânea.