Encerrando (por ora) o diálogo de poemas inéditos com os publicados no meu livro Itinerários (Ed. UFPR, 2018), alguns outros caminhos e descaminhos de agora:

aos povos daqui

eu não me pinto
porque não sou tu
nem desejo ser como tu
mesmo que deseje menos ainda ser
os outros que são como eu
mas que não são porque
desejam que tu morras
em todos os planos: físicos e simbólicos
exceto o de um passado
emoldurado mornamente inofensivo.

mas não eu
(eu não eu não)
não desejo ser como tu
nem desejo a tua morte.

não desejo te homenagear
nem tutelar nem blá
blá
blá
e tantos
blás.

eu desejo a ti
simplesmente
vivo/a
sendo tu.

sem título

no dentro do fundo
da amazônia
custa pouco
(chega logo)
o esquecimento
das beiras do mundo


Thassio Ferreira (Rio de Janeiro, 1982). É poeta e contista, autor do livro de poemas (DES)NU(DO) (Íbis Libris, 2016) e de contos publicados nas antologias Prêmio VIP de Literatura 2016 (A.R. Publisher, 2016) e “Entre Amigos” (Sinna, 2016). Recentemente, seu livro inédito de contos “Cartografias” foi um dos pré-selecionados ao Prêmio Sesc de Literatura 2017. Tem poemas e contos publicados em revistas diversas como Philos, Germina, Mallarmargens, Revista Semeadura e Avessa.

Posted by:Jorge Pereira

Produtor cultural pernambucano baseado no Rio de Janeiro. Fundador da Casa Philos e editor-chefe da Revista Philos. Curador de festivais literários e de arte contemporânea.