Saíra saiu do rio afobado, correndo. Tinha avistado o homem intolerante do outro lado.

Fora da água, gritou para Faisão Dourado e Pintassilgo: vem logo, o homem vem aí. Todos voaram para o salão. Quando a Ialê perguntou o que se passava, todos queriam ser os primeiros a falar. Saíra, todo molhado, um erê no corpo de um homem de quase dois metros de altura, forte, negro, olhos castanhos claros enormes, tomou a frente: – Darmãe, o homem untoleante querervo pegarvo erê. Darmãe Ekedi tarvo vindo, sabervo do homem untoleante.

Serena, a Ialê disse que isso não iria acontecer, que o pai dele, Airá, não permitiria e que a ekedi tomaria conta deles. Faisãozinho Dourado quis saber: – Darmãe Oxum tamém não deixarvo, né, darmãe?

– Claro que não, respondeu. E, olhando para o Pinta, disse, antes que ele chorasse, que Oxóssi iria protegê-los também.

Colibri chegou devagar, olhando as folhas pelo caminho e perguntou por Maritaca.

A Ialê disse que o pai de santo já estava vindo pra trazer todos os outros erês para a festa. Depois disso, ela apontou para a dofona de Xangô, sentada à máquina de costura, fazendo o enxoval dos iaôs que estavam recolhidos e cochichou para irem buscá-la, para que Trovão, seu erê, comesse o caruru que seria servido.

A dofona viu o movimento, olhou pro montinho de erês se aproximando e brincou: – Eita, lá vem o passaredo.

Foi uma risada geral. Pintassilgo a corrigiu: – Servo parsalinhada.

– Passaiada, Pinta. Emendou Saíra.

Nisso, o pai de santo chegou, fez uma rodinha com todos, que começaram a pular em volta da dofona. Em um segundo não era mais ela, mas Trovão se dizendo grande e sabido.

Em dois minutos, todos os iaôs e ebomis tinham sumido da casa, dando lugar a suas crianças. Pulavam em volta do pai de santo, que sorria o maior sorriso do mundo.

Depois todos comeram caruru. Saíra, Quero-quero, Patativa e Coleiro foram os primeiros a querer voltar pro rio. Correnteza e Tempestade correram muito em seguida.

Pintassilgo se lembrou do homem intolerante que gritava com eles toda vez que aparecia, mas o pai de santo disse: – Vou com vocês, se o homem intolerante vem aí, eu vou lá e a gente bota ele pra correr com tanta festa.


Vanusa de Melo é uma das autoras finalistas do Concurso CEAT 50 Anos: textos e poemas para a Revista Philos, publicada na 11ª edição da Flist – Festa Literária Internacional de Santa Teresa, em abril de 2019. A Flist é uma parceria do Centro Educacional Anísio Teixeira e da Revista Philos. 

Publicado por:Jorge Pereira

Recifense, produtor cultural, editor-chefe da Revista Philos e criador da Casa Philos.