O artista plástico e escritor Victor Grizzo lança seu livro de estreia “Luz dos Olhos Meus” no dia 5 de novembro, terça-feira, às 19h, no Museu da Diversidade Sexual na Estação República em São Paulo. Participam da mesa de bate-papo os editores Jorge Pereira e Lucas Fonseca, e o ator Cassio Scapin (O Castelo Rá-Tim-Bum), que fará uma leitura encenada da obra que fala sobre diversidade na infância.

Luz dos Olhos Meus conta a história do menino Eugênio, de sua mãe Ágata e suas amigas imaginárias. Eugênio fará em breve 6 anos e muitas questões lhe atordoam: as brincadeiras de “meninos” e “meninas” impostas por sua mãe, as vivências com sua prima, o colorido das roupas de festa e o “terror da descoberta” que se costura página por página nessa intrigante e comovente narrativa. O livro é norteado por temas familiares como questões de gênero, sexualidade, infância e processos de aprendizagem, tratando essas questões com um magnífico sentido de espanto e humor, sem dramatizar e fazendo uso de uma voz narrativa muito próxima das crianças e dos pais. Luz dos Olhos meus é um delicado livro ilustrado para os primeiros leitores, pais e para todas as famílias.

Para o ator Cassio Scapin, a literatura de Victor Grizzo se assemelha aos contos infantis dos Irmãos Grimm: “Nessa fábula de Victor Grizzo, Luz dos Olhos Meus, acompanhamos a trajetória de Eugênio cheia de densidade e beleza emoldurada por uma maravilhosa ilustração que nos lembra Marc Chagall. Obras assim nos ajudam a jogar luz sobre questões para crianças e adultos, sem que isso ofusque ou fira nossos olhos, mas ao contrário, ilumine novos caminhos para o entendimento humano”.

O evento é aberto ao público e terá atividades direcionadas também para as crianças, com contação de histórias e distribuição de sorvetes veganos. Parte das ilustrações utilizadas no livro serão expostas no evento.


Serviço:
Lançamento do livro “Luz dos Olhos Meus”, de Victor Grizzo
Data e horário: 5 de novembro às 19 h
Local: Museu da Diversidade Sexual, na estação da República (SP)

Publicado por:Jorge Pereira

Recifense, produtor cultural, editor-chefe da Revista Philos e criador da Casa Philos.