Nós adoramos listas de final de ano! Todos os dias na Casa Philos chegam livros, cartas, visitas de artistas e poetas para um café com bolo… E entre uma conversa e outra surgem as recomendações de leitura, os autores que nunca deixamos de ler, os estreantes e uma miríade de lançamentos literários que vão acontecendo (felizmente) ao longo do ano. E esses são os 40 livros que lemos e adoramos e julgamos terem sido as nossas melhores leituras de 2019:

  1. Um quarto em Atenas, de Tatiana Faia (Macondo)
  2. O livro preto de Ariel, de Hamilton Borges (Reaja)
  3. Aquenda – o amor às vezes é isso, de Luna Vitrolira (Livre)
  4. Cartas pra Pepita, de Mulher Pepita (Arole Cultural)
  5. Torto arado, de Itamar Vieira Junior (Todavia)
  6. Fama e infâmia: uma crítica ao jornalismo brasileiro, de Marilene Felinto (Edição da autora)
  7. Permanece, de Lubi Prates (Quelônio)
  8. Ideias para adiar o fim do mundo, de Ailton Krenak (Companhia das Letras)
  9. Teatro das Oprimidas, de Bárbara Santos (Casa Philos)
  10. Eu, travesti: Memórias de Luísa Marilac, de Luísa Marilac e Nana Queiroz (Record)
  11. Encarceramento em massa, de Juliana Borges (Pólen)
  12. Donana e Titonho, de Ninfa Parreiras (Paulinas)
  13. Colisões bestiais (particula)res, de Kátia Gerlach (Confraria do Vento)
  14. Povo xambá resiste: 80 anos da repressão aos terreiros em Pernambuco, de Marileide Alves (Cepe)
  15. A resistência dos vaga-lumes, de Cristina Judar e Alexandre Rabelo (Nós)
  16. Elegia do Irmão, de João Anzanello Carrascoza (Alfaguara)
  17. Redemoinho em dia quente, de Jarid Arraes (Alfaguara)
  18. Colégio de freiras, de Raimundo Carrero (Illuminuras)
  19. Querem nos calar: poemas para serem lidos em voz alta, de Mel Duarte (Planeta)
  20. Urubus, de Carla Bessa (Confraria do Vento)
  21. Nenhum muro à altura do peito, de Priscilla Campos (Macondo)
  22. Sereia no copo d’água, de Nina Rizzi (Jabuticaba)
  23. Bruxisma, de Pilar Bu (Urutau)
  24. A última cabra, de Lucas Verzola (Reformatório)
  25. Ninguém vai lembrar de mim, de Gabriela Soutello (Ferina)
  26. Seu retrato sem você, de Tatiana Eskenazi (Quelônio)
  27. Uma história e uma história e uma história, de Ana Gibson e Juliana Franklin (Folio)
  28. Flores de beira de estrada, de Marcelo Soriano (Laranja Original)
  29. Talvez precisemos de um nome para isso, de Stephanie Borges (Cepe)
  30. Jamais peço desculpas por me derramar, de Ryane Leão (Planeta)
  31. Apropriação Cultural, de Rodney William (Pólen)
  32. Luz dos Olhos Meus, de Victor Grizzo (Casa Philos)
  33. La herencia, de Vigdis Hjorth (Nórdica Libros e Mármara)
  34. O sagrado e o profano – Vivências negras no Rio de Janeiro, de Nilma Teixeira Accioli (Appris)
  35. Eu, Tituba: Bruxa negra de Salém, de Maryse Condé e tradução de Natália Borges Polesso (Rosa dos Tempos)
  36. Mulheres empilhadas, de Patricia Melo (Leya)
  37. O Tupi que você fala, de Claudio Fragata (Globo)
  38. Vocês sabem quem sou eu?, de Inês Brasil (Chiado)
  39. Crônicas para ler em qualquer lugar, de Maria Ribeiro, Xico Sá e Gregorio Duvivier (Todavia)
  40. El Caminante, de Paulo Emílio Azevedo (Casa Philos)

As latinidades, lesbiandades, diversidades, gays, trans, travestis e as transculturalidades estão contempladas nessas obras e artistas. Siga as nossas redes sociais no Twitter, Instagram e Facebook e fiquei por dentro das nossas ações e projetos.

Anúncios
Publicado por:Jorge Pereira

Recifense, produtor cultural, editor-chefe da Revista Philos e criador da Casa Philos.