Apresentamos um poema do livro Horizonte, da escritora Chris Facó, a ser lançado pela Casa Philos no catálogo de inverno. Uma obra que une poesia com traços aquarelados de Maria Flexa, que assina a arte do projeto. Nas palavras de Rona Hanning, no texto que apresenta a obra: Horizonte é escrito por alguém que sabe da imensidão de dentro e de fora e, como Penélope, navega desejos e brinca de se espalhar pelo universo. Sem mais delongas, leia o poema “Se houver certeza: Ulisses”.

se houver certeza: Ulisses

o barco quer voltar
a intenção de mares calmos existe

o barco se dispõe a navegar
para sempre

a cada pedaço do caminho engole todo ar que existe e continua

por acaso não lhe disseram estar perdido
na intenção?

voltar é um devaneio “Navegar é preciso”

e se Ítaca for embora?

talvez encontrem-se no caminho

talvez não se reconheçam no final


Chris Facó, brasileira e do mundo. Contadora de Histórias trilíngue, professora de História e Pedagoga. Pisciana, ama a natureza, especialmente o mar, sua casa. Acredita que viagens são experiências, amplificadoras de seu olhar. Encontrou na Yoga e na Meditação um caminho a seguir, assim como a escrita. Ama ler, os livros lhe provocam maravilhamento. Acredita que a vida é feita de ciclos que se fecham e se iniciam. Escrever é sua nova voz. Sente-se como a personagem de um livro de Clarice: “Uma vez dividiu-se, inquietou-se, passou a sair e a procurar-se.” Horizonte é fruto dessa procura.

Publicado por:Jorge Pereira

Recifense, produtor cultural, editor-chefe da Revista Philos e criador da Casa Philos.