O Cine Philos indica a 2º edição do Curta LIBRAS – Mostra Cinema e Acessibilidade, que será realizado de 20 a 25 de setembro de 2021, em formato virtual e com programação gratuita através da plataforma Memorabilia Play

Serão exibidos 28 obras de curta, média e longa-metragem com recurso de Janela de LIBRAS de todas as regiões do país selecionadas para esta edição do evento contemplando obras produzidas por realizadores surdos. Um recorte de filmes desta edição da mostra será exibido na Aperipê TV, canal 6.1 em Sergipe. A novidade desta edição é a exibição de 10 filmes (curtas e longas) integrantes do Circuito Cinema e Direitos Humanos, também com recurso de acessibilidade em LIBRAS, fazendo o projeto Curta LIBRAS integrante da rede de exibição do Circuito Cinema e Direitos Humanos, iniciativa do ICEM – Instituto Cultura Em Movimento.

O Curta LIBRAS é idealizado e coordenado por Eudaldo Monção Jr (Memorabilia Filmes) e teve sua primeira edição realizada em 2018 na cidade de Nazaré, na Bahia, no âmbito do Projeto Escolas Culturais, uma iniciativa do Governo do Estado da Bahia. O 2º Curta Libras – Mostra Cinema e Acessibilidade é uma produção Memorabilia Filmes e Meu Sertão Produções, e conta com o apoio da Rede Terra Cult – Territórios culturais baianos e da Aperipê TV de Sergipe. Eis os filmes selecionados para essa edição do festival:

  • Anhangabaú, direção de Filipe Travanca (São Paulo, SP)
  • Mocinho e bandido, direção de Guto Bozzetti (Porto Alegre, RS)
  • Os últimos românticos do mundo, direção de Henrique Arruda (Recife, PE)
  • Sinal Vermelho: a arte de rua pede passagem, direção de Cariolando dos Santos (Aracaju, SE)
  • Homens pink, direção de Renato Turnes (Florianópolis, SC)
  • Selma depois da chuva, direção de Loli Menezes (Florianópolis, SC)
  • Marie, direção de Leo Tabosa (Recife, PE)
  • Vai melhorar, direção de Pedro Fiuza (Natal, RN)
  • Em reforma, direção de Diana Coelho (Natal, RN)
  • Uma força extraordinária, direção de Amandine Goisbault (Paudalho, PE)
  • Ar, direção de Marcelo Oliveira e William Oliveira (Recife, PE)
  • Nova redenção, direção de Rafael Rodrigues (Nova Redenção, BA – Rio de Janeiro,RJ)
  • Solos áridos, direção de Alex Ripardo (Tejuçuoca, CE)
  • Anadireção de Édier William (Porto Velho, RO)
  • Distopiadireção de Lilih Curi (Salvador, BA)
  • Carolinadireção de Lilih Curi (Salvador, BA)
  • Reflexão, direção de Jonathan R. de Almeida (São Carlos, SP)
  • O menino que morava no som, direção de Felipe Soares (Recife, PE)
  • Sentidos, direção coletiva (Campina Grande, PB)
  • Expressão do amor, direção de David Juan (Santos, SP)
  • Seremos ouvidas, direção de Larissa Nepomuceno (Curitiba,PR)
  • O último livro, direção de Luergio de Souza (Brasília, DF)
  • O corpo da liberdade, direção de Renata Rezende (Brasília,DF)
  • Joana, direção de Pattrícia de Aquino (São Domingos do Cariri, PB)
  • Pequena flor de ameixa: Raiz, direção de Camila Guerra (Natal, RN)
  • Adelaide, aqui não há segunda vez para o erro, direção de Anna Zêpa (São Paulo, SP)
  • A galinha ruiva, direção de Irson Jr. (Vila Velha, ES)
  • O Casamento da Ararinha-azul, direção de Marcelo Branco (Uberlândia, MG)

Mostra Circuito Cinema e Direitos Humanos

  • Anjos do meio da praça, direção de Alê Camargo e Camila Carrossine 10’13” (Brasil, 2010)
  • Carne, direção de Camila Kater 12’13” (Brasil, Espanha 2020)
  • Castanhal, direção de Marques Casara e Rodrigo Simões Chagas 25’ (Brasil, 2020)
  • Prefiro que me xinguem, direção de Marcos Warschauer e Levi Guimarães Luiz 14’ (Brasil, 2020)
  • Sobre sonhos e liberdade, direção de Márcia Paraíso e Francisco Colombo 70’ (Brasil, 2020)
  • Vidas entregues, direção de Renato Prata Biar 22’ (Brasil, 2019)
  • Eu, minha mãe e Wallace, direção de Irmãos Carvalho 23’ (Brasil, 2018)
  • Espero tua (re)volta, direção de Eliza Capai 93’ (Brasil, 2019)
  • De olhos abertos, direção de Charlotte Dafol 92’ (Brasil, 2020)
  • Ilegal, direção de Raphael Erichsen e Tarso Araujo 90’ (Brasil, 2014)