Após 11 edições no Rio de Janeiro com a ArtRio, Brenda Valansi e sua equipe estreiam em São Paulo a impactante ArtSampa, a nova feira de arte da capital paulista que apresenta um programa curatorial diverso no ano em que se comemora o centenário da Semana de Arte Moderna.

Para além das obras e exposições, a ArtSampa desenvolveu um projeto arquitetônico inovador e que prestigia a obra de Oscar Niemeyer. A primeiríssima edição do evento apresenta até o domingo, dia 20, coleções de mais de 50 galerias e espaços institucionais como a Casa Chama, o MAM, o Instituto Inclusartiz, a Rede NAMI, o MT Projetos de Arte e própria Casa Philos. Para a curadora Brenda Valansi:

“Chegar a São Paulo no ano do centenário do movimento modernista é muito emblemático. Temos como compromissos a valorização da arte brasileira, o estímulo a novos artistas e o reconhecimento da arte como forma de expressão da sociedade e sua cultura”.

Todos os projetos apresentados desenvolveram propostas inéditas de expografias com foco em debates políticos importantes e questões contemporâneas. “Estamos estimulando que as galerias tragam projetos especiais e inéditos, desenvolvidos especialmente para essa primeira edição“, nos contou Brenda.

Para além das exposições, a feira ainda conta com diversas mesas de diálogos com artistas, galeristas e colecionadores, incluindo também seu educativo e a mostra de cinema MIRA, com exibições de curtas metragens de arte e produções independentes. O que faz da ArtSampa um evento que, além de dar espaço para projetos e instituições, se preocupa com a arte, com a expografia dos projetos e com o papel da arte no espaço da sociedade.

Os destaques da programação do evento serão anunciados amanhã na nossa listagem comentada com as 30 melhores obras apresentadas pelas galerias na ArtSampa.