Dora de Assis escreveu os poemas que hoje se apresentam em Poesia Rouca no período de sua adolescência, sem saber, talvez, das potencialidades da sua escritura sonora que lhe percorria o imaginário e a garganta na sua infância.

Nesta obra, a autora refresca-nos a memória dos frutos maduros de suas palavras que nasceram roucas: um eu lírico inteligente, conhecedor do seu ofício, que produz uma poesia que se assemelha ao autoexílio da palavra, uma enfermidade ligeira da linguística que recusa pontos, acentos, pausas, vírgulas, para que não se trave o sentido, para que flua rápida, sensível, com rouquidão e sem ranhuras; gerando identidade, forjando sua poesia.

A obra é apresentada por Roberto Corrêa dos Santos, que afirma: Quem ousa a escrita, merece de Dora dedicatória. Já Ricardo Chacall diz que sua poesia tem vórtice.

Dora sabe que uma grande poeta é aquela que necessita criar uma linguagem capaz de expressar as suas desmesuras interiores. Em sua poesia, a latência das palavras e dores é clássica e cheia de momentos visionários, que nos deslumbra com imagens modernistas e franqueza. Em Poesia Rouca, a imagem poética se mistura com os traços de poéticas imagens de Marina Lattuca. Dora se apresenta entoando voz em um mundo cuja beleza evanescente é capaz de pisar firmemente no chão de suas convicções e dizê-las em voz alta sem hesitação.

“Poesia Rouca”, Dora de Assis. Clique e compre o seu!

Para adquirir o seu “Poesia Rouca”, acesse a nossa loja online ou compre na Amazon. Com Philos entrega para todo o Brasil. Basta clicar na capa ao lado. Poesia Rouca é ilustrado pela artista Marina Lattuca. 

Poesia Rouca
Dora de Assis
ISBN 978-65-00-01267-5

Casa Philos (outono 2020)
com ilustrações de Marina Lattuca
52 páginas


Dora de Assis nasceu com circular de cordão em 1997. é atriz e estudante de artes visuais da UERJ. ainda sente dores no pescoço.


Leia mais sobre a autora:

Crítica de Raimundo Carrero para o jornal Diario de Pernambuco, sobre o livro Poesia Rouca
Em agosto, um poema de Dora de Assis
Um poema de Dora de Assis
A rouquidão de uma poesia que pulsa – Revista Subjetiva
Dora de Assis se revela em livro que compila poesias autorais: ‘Escrevo sobre meus tumores’ (Portal G Show)
AC Entrevista – Dora de Assis lança ‘Poesia Rouca’, seu primeiro livro de poesias
Na TV e no papel: a arte de ser Dora (Jornal Meia Hora)
Dora de Assis: de moça tímida em Malhação – Toda forma de amar a garoto virgem no teatro – Heloisa Tolipan
Dora de Assis: “Prefiro uma vida que possa ser feita à mão” (GQ Magazine)
Você sabia que a Dora de Assis escreve poemas? Veja 10 curiosidades sobre Raíssa de “Malhação” (Portal Purebreak)
Canais da Cultura Niterói na internet trazem poesia e arte gratuitas (Jornal O Dia, sobre o Poesia Rouca)
Na TV e no papel: a arte de ser Dora (Blogue do Edmilson Gomes)
Ato poético: Poemas pela democracia (Dora de Assis no livro Ato Poético pela democracia)
Dora de Assis: “Nunca quis só ser artista, mas produzir pensamento” – A Raíssa de Malhação diz ter o mesmo olhar crítico e sensível da personagem ao mundo (ArteBlitz)