A literatura como forma de crítica, crônica e resistência é uma marca das publicações da Philos. Não por mérito plenamente editorial, mas principalmente pelas perspectivas e anseios dos autores e colaboradores que repensam o cotidiano, as lutas de classes, a desigualdade, a luta feminista e tantas outras bandeiras que implicam a necessidade de reflexão através das artes, do reconhecimento e da memória.
A edição de número vinte e um da Philos está sendo lançada após um mês intenso de atividades com a Latinité Tournée nas cidades do Recife, São Paulo e Rio de Janeiro, em detrimento da divulgação de nosso primeiro volume impresso; apresentamos aqui um caderno repleto de trabalhos que reflexionam acerca do pensamento humano e dos nossos eus.
David Ortega faz uma nova reflexões sobre os curto-circuitos das gerações e nos apresenta a segunda parte de seu ensaio sobre o pensamento moderno. Nossos colunistas da Imagerie, Magda Fernandes e José Domingos, nos apresentam uma sessão de artes visuais inspiradas em Frankenstein com trabalhos fotográficos experimentais que nos servem de deleite aos olhos.
A direção de arte da Philos #21 fica por conta da ilustradora italiana, Daniela Spoto, que enche de cores e sensibilidade as páginas de nosso editorial com suas aquarelas e ilustrações delicadas. Para ela “a literatura e as artes não nos dão respostas, apenas nos impõem perguntas”.
A Philos se coloca como um canal de diálogo, uma plataforma de suporte, um veículo de expansão e democratização do conhecimento. Apenas a partir da partilha é que alcançaremos a tão sonhada democratização da democracia.


La literatura como forma de crítica, crónica y resistencia es una marca de las publicaciones de la Philos. No por mérito plenamente editorial, pero principalmente por las perspectivas y anhelos de los autores y colaboradores que replantean el cotidiano, las luchas de clases, la desigualdad, la lucha feminista y tantas otras banderas que implican la necesidad de reflexión a través de los artes, del reconocimiento y de la memoria.
La edición de número veintiuno de la Philos está siendo lanzada después de un mes intenso de actividades con la Latinité Tournée en las ciudades del Recife, São Paulo y Río de Janeiro, en detrimento de la divulgación de nuestro primer volumen impreso; presentamos aquí un cuaderno repleto de trabajos que reflexionan acerca del pensamiento humano y de nuestros yos.
David Ortega hace una nueva reflexiones sobre los cortocircuitos de las generaciones y nos presenta la segunda parte de su ensayo sobre el pensamiento moderno. Nuestros columnistas de la Imagerie, Magda Fernandes y José Domingos, nos presentan una sesión de artes visuales inspiradas en Frankenstein con trabajos fotográficos experimentales que nos sirven de deleite a los ojos.
La dirección de arte de la Philos #21 queda por cuenta de la ilustradora italiana, Daniela Spoto, que llena de colores y sensibilidad las páginas de nuestro editorial con sus aquarelas e ilustraciones delicadas. Para ella “la literatura y los artes no nos dan respuestas, sólo nos imponen preguntas”.
La Philos se coloca como un canal de diálogo, una plataforma de soporte, un vehículo de expansión y democratización del conocimiento. Sólo a partir del reparto es que alcanzaremos a tan soñada democratización de la democracia.

Philos #21

Cortocircuitos generacionales II: Inconsistencias, por David Ortega
Nós vivemos os mesmo momentos, mas aparentemente vivemo-los de modo diferente, por Daniela Pedro Ferreira
O engraxate, por Vicente de Melo
Catimbau, por Carlos Barth
NaCimento, por Giannina Zorrah
Perezhivanie, por Marcelo Ferreira de Menezes
Passeio no parque, por Caio Lobo
Compressão, por Katia Gerlach
A força dos amores imigrantes, por Sílvio Reis
Pouco antes do quase novo fim, por Elicio Santos
Não julgue pela capa, por Munique Duarte
Razão perdida, por Willames Frank
Um beijo, por Yvisson Gomes dos Santos

Neolatina #21

Mostra de poesia lusófona, por Fernando de Azevedo Alves Brito
Mostra de poesia lusófona, por Jéssica Martins Costa
Mostra de poesia lusófona, por Laila de Mauro
Mostra de poesia lusófona, por Priscila Panza
Mostra de poesia lusófona, por Marina Soares
Mostra de poesia lusófona, por Julio Valentim Barbosa Neto
Mostra de poesia lusófona, por Grasiela Fragoso
Mostra de poesia lusófona, por Leticia Canedo
Mostra di poesia italiana, da Daniela Balestrero
Mostra de poesia lusófona, por Aurilene Sampaio
Mostra de poesia lusófona, por Helena Barbagelata

Sessão de artes visuais

Frankenstein, por Magda Fernandes e José Domingos

Entrevistas

“Ele adultera tudo através da lente ilusória dos próprios olhos”, entrevista com Jacques Fux por Thassio Ferreira
“A literatura e as artes não nos dão respostas, apenas nos impõem perguntas”, por Daniela Spoto

Issuu

Acesse a nossa publicação na plataforma do Issuu. Acceda nuestra publicación en la plataforma del Issuu.

Download/Descarga
Philos #21
Neolatina #21

Para realizar o download dos cadernos da Philos #21 e do Dossiê de Literatura Neolatina #21, clicar sobre as imagens das capas ao lado. Para realizar el download/descarga de los cuadernos de la Philos #21 y del Dossier de Literatura Neolatina #21, haz click sobre las imágenes de portadas al lado.

Comentários

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s